Aviação ganhará nove modelos de aeronaves comerciais até 2018

Enquanto modelos como B747 e A340 aos poucos vem sendo aposentados, uma série de novos modelos de aeronaves, cada vez mais modernos, eficientes e confortáveis, entrarão em cena entre os anos de 2017 e 2018.

Projetos de diversas fabricantes como Airbus, Boeing, Comac, United Aircraft Corporation e Embraer devem sair do papel e ganhar o espaço aéreo internacional. Abaixo é possível ver quais são as novidades que estão por vir.

Airbus New Engine Options (neo) 

O A330neo, A321neo e A319neo têm a expectativa de atingir grandes metas até 2018. O A330neo, por exemplo, está marcado para ser entregue no último trimestre de 2017, ou quem sabe, no primeiro trimestre de 2018 à TAP Portugal.

Já o A321neo deve entrar em operação já este ano, com reforço na estrutura das asas e duas opções de motores. Outro modelo que deve entrar em cena é o A319neo, embora o tamanho da aeronave não tenha chamado tanto a atenção dos clientes comerciais até o momento

Airbus A350-1000

O M&E já divulgou algumas fotos do passo a passo da aeronave nas linhas de montagem da Airbus. A maior variante da família A350 oferecerá uma melhora da eficiência energética, promete menos barulho e capacidade de operar em longa distância similar ao A330neo.

O -1000 tem capacidade de acomodar até 40 passageiros a mais do que o A350-900, dependendo sempre da configuração escolhida por cada cliente. É previsto que o widebody entre em operação já no segundo semestre deste ano, com a Qatar Airways sendo a escolhida para ser a pioneira na operação do modelo, já que possui encomenda para 37 unidades.

Boeing 737 MAX

A entrega dos B737 MAX 8 e 9s estão marcadas para este ano. A linha MAX da família B737 promete um custo operacional menor e uma eficiência energética até 18% maior do que o modelo antigo.

A Southwest Airlines será a pioneira no lançamento do serviço do B737 MAX 8, enquanto a Aerolíneas Argentinas terá este privilégio em âmbito sulamericano. Já o B737 MAX 9 deve realizar seu voo teste no último mês deste ano, quando a primeira da fuselagem da aeronave chegará à linha de montagem final da norte-americana.

Boeing 787-10 Dreamliner

A ideia é que a aeronave já voe este ano, embora só entre em serviço de forma oficial no ano que vem. Tanto é que o modelo já entrou na linha de montagem final da fabricante no último mês de dezembro.

Como todos sabem, este é o terceiro membro da família Dreamliner e nada mais é que do que uma versão alongada do B787-9, com mais assentos e capacidade de carga.

Até o momento, a Boeing já recebeu mais de 150 ordens de encomenda para o modelo, que acomoda cerca de 330 passageiros em duas classes e tem um alcance de até 6.430 milhas náuticas.

Comac C919

Como já noticiado aqui no M&E, a China mergulhou de cabeça na fabricação de aeronaves comerciais e já mandou avisar que concorrerá diretamente com a Boeing e Airbus.

O motivo é o lançamento do C919, que após alguns atrasos, enfim ganhará os ceus da China para seu voo inicial, marcado para este ano.

Com uma versão básica e aprimorada, de acordo com a própria fabricante, a aeronave tem um alcance de até 3.451 milhas náuticas e poderá acomodar até 160 passageiros em passageiro único, ou 156 assentos em mais de uma classe.

United Aircraft Corporation MC-21

Está tudo pronto para o MC-21 voar ainda este ano. No fim de dezembro, a aeronave estava na linha de montagem final da fabricante e trabalhará com duas variantes: MC-21-300 (entre 160 e 211 assentos) e o MC-21-200 (entre 176 assentos e 231 assentos).

Em seu programa de desenvolvimento, a United Aircraft Corporation afirma que o MC-21 já teve sua fuselagem testada, equipamentos instalados e sistemas ajustados.

A aeronave também passou  a ser alimentada por energia elétrica, e logo depois tiveram os testes de frequência que também foram iniciados.

Embraer E195-E2

A aeronave está pronta para ganhar os céus pela primeira vez este ano. Em meados de janeiro, a Embraer anunciava a junção das asas com a fuselagem, uma etapa considerada vital na montagem do modelo, mas que já foi devidamente realizada.

Ao comparar com as atuais aeronaves da geração E-jets, a companhia brasileira afirma que os E195-E2s chegam ao duplo dígito de queda no consumo de combustível. A aeronave poderá acomodar até 120 pessoas em mais de uma classe, ou 132 assentos em classe única.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *