A origem de Campinas remonta ao início do século XVIII, época em que o lugar era um pouso na rota São Paulo-Goiás e São Paulo-Mato Grosso, para entradas e bandeiras e depois para mascates, tropeiros, comerciantes e soldados.

Esse pouso para descanso dos tropeiros, que utilizavam esse caminho entre as Vilas Jundiaí e Mogi-Mirim ficou conhecido como "Campinas do Mato Grosso" em razão da formação de três pequenos descampados ou "campinhos" em meio à mata. Deste simples pouso, surgiu um povoado e depois um município que a partir da segunda metade do século XIX começou a adquirir sua identidade sócio-econômica com o desenvolvimento da indústria açucareira, seguido da cultura do café.

A data oficial considerada para fundação da cidade de Campinas é 14 de julho de 1774, quando foi celebrada a primeira missa no lugarejo, apesar de ter sido elevada à categoria de cidade apenas em 1842. O desenvolvimento econômico, social e cultural da cidade lhe permitiu disputar no final do século XIX, a primazia com a capital do Estado.

Apesar das crises cafeeiras, no início do século XX, Campinas já aprensentava uma economia bastante consolidada, o que lhe possibilitou acompanhar as etapas seguintes do desenvolvimento econômico do país. A configuração da moderna base econômica de Campinas remonta aos anos 60, e especialmente após 1975, quando se iniciou o processo de gradativa desconcentração econômica no País, significando menores índices de participação da área metropolitana de São Paulo no valor da produção industrial.

Com taxas de crescimento acima da média nacional ao longo da últimas décadas, o Interior de São Paulo se consolidou como o segundo maior aglomerado industrial do País, superado apenas pela área metropolitana de São Paulo.

Configurando-se como polo dinâmico do processo de "interiorização do desenvolvimento", o município e a região de Campinas tiveram a sua fisionomia econômica radicalmente transformada nas duas últimas décadas. Com a dinâmica econômica e demográfica de Campinas e região, houve mudanças significativas das características da cidade e da região ao seu entorno, começando nascer aí uma metrópole paulista. A região metropolitana de Campinas é formada pelos seguintes municípios: Americana, Artur Nogueira, Campinas, Cosmópolis, Engenheiro Coelho, Holambra, Hortolândia, Indaituba, Itatiba, Jaguariúna, Monte Mor, Nova Odessa, Paulínia, Pedreira, Santa Bárbara D'Oeste, Santo Antônio de Posse, Sumaré, Valinhos e Vinhedo.